Pedro Monjardino apresentado como Coordenador Logístico para o Processo de Vacinação nos Açores

O Secretário Regional da Saúde e Desporto apresentou Pedro Monjardino como Coordenador Logístico para o Processo de Vacinação contra a Covid-19 nos Açores.

Pedro Leal Bettencourt e Silveira Monjardino nasceu a 04-06-1967, vive e estuda na Terceira toda a sua juventude, sendo licenciado em Direito pela Universidade de Direito da Faculdade de Lisboa.

Desde 1997 teve atividade profissional em Moçambique, tendo de 1999 a 2004 exercido em empresas de logística e transportes, como responsável administrativo ou financeiro.

Nesse período foi assessor do Representante do Governo dos Estados Unidos para o programa PEPFAR em Moçambique como agente da UPS SCS; Diretor de Projeto Corredor de Nacala que consistia na concessão da gestão do porto de Nacala em Moçambique, a linha férrea daquele porto até ao Malawi e toda a infraestrutura ferroviária daquele pais; Responsável implementador de projeto de reestruturação de processos em empresa.

De 2004 a 2014 foi Diretor-geral de empresas de logística em Moçambique com parceiros internacionais: Grupo Orey (Portugal) e Rohlig Grindrod; Diretor de Projeto de “oil and gas” da empresa Sasol e responsável pelo estudo estratégico que levou a empresa Gridnrod a entrar em parceria com a DP World na gestão do porto de Maputo;.

De 2014 até hoje exercer em Moçambique como consultor na área de logística, gestão de processos e redução de risco; Presta assessoria a empresas que concorrem a projetos de gaz natural em Moçambique; é Diretor de Projeto de implementação de um serviço regular de transporte marítimo entre os portos de Moçambique.

De salientar ainda o trabalho voluntário como responsável logístico da operação Embondeiro, um projeto em parceria da Cruz Vermelha Portuguesa e a ONG Médicos do Mundo de envio de ajuda humanitária para a cidade da Beira em Moçambique; Representante em Moçambique da ONG Médicos do Mundo em Moçambique onde operam dois projetos de ajuda humanitária: Projeto financiado pela UNICEF no campo de desalojados da Ndjena, e o projeto Ungumi, ambos na Província de Sofala, Moçambique. 

AA/ARS