Plano de 2022 com aposta na bovinicultura da carne dos Açores e na rede regional de abate

O Secretário Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural anunciou que o Plano e Orçamento para 2022 pretende criar determinados objetivos macro para a bovinicultura da carne dos Açores, estando ainda previsto um investimento na rede regional de abate de 7,6 milhões de euros.

António Ventura falava à margem da assinatura de um protocolo de cooperação com a Aberdeen-Angus – Associação de Criadores de Raça de Aberdeen-Angus, no valor de 33 mil euros, para que esta associação, tal como outras do género, se possa afirmar na economia regional, mas também junto dos seus produtores.

“É essencial que essas associações tenham mais competência, tenham mais serviços, de modo que todo o desenvolvimento possa ocorrer junto dos agricultores e dos agricultores para os mercados”, adiantou.

Relativamente ao Planeamento para 2022, o governante destacou o interesse “criar determinados objetivos macro para a bovinicultura da carne dos Açores”, desde logo, com “um plano para a formação, uma agenda para a investigação no âmbito da bovinicultura de carne, testar ou não a existência de parques de acabamento em algumas ilhas”.

Porque interessa, naturalmente, que os animais sejam abatidos e se possam ter mais valias no âmbito da criação de emprego e da criação de riqueza por via do abate”, acrescentou.

O responsável pela pasta da Agricultura destacou que este ano já se abateram nos matadouros da Região Autónoma dos Açores cerca de 58 mil cabeças de bovinos, o que corresponde a um aumento de 9% relativamente ao ano transato, registando-se ainda um aumento de 4% relativamente ao consumo local, que já representa cerca de 30% do que se abate.

“A bovinicultura de carne é essencial para os Açores, para a economia, para muitas ilhas, onde representam um complemento de rendimento para muitas famílias, sendo que tudo isto se torna também uma preocupação e um grande objetivo no planeamento da Secretaria da Agricultura”, disse.

O Secretário Regional frisou o investimento previsto no Plano de 2022 na rede regional de abate, de 7,6 milhões de euros, onde destacou a construção do matadouro da ilha de São Jorge e os investimentos no matadouro na ilha do Pico e no matadouro de São Miguel.

Ventura disse que este “é um grande investimento na rede regional de abate para o ajustamento, para o aumento de consumo local, para a imagem dos Açores em termos dessa produção essencial, por temos uma vocação para a produção de carne nos Açores, que é essencial manter”.

António Ventura frisou ainda que “nos Açores temos carne de excelência intrínseca que é preciso dar a conhecer, não só nos Açores, mas também além-fronteiras”.

AA/GRA