Presidente da Câmara de Velas reforça importância dos transportes para o desenvolvimento do concelho

O presidente do município de Velas recebeu em audiência de cumprimentos o novo Secretário Regional dos Transportes, Turismo e Energia, Mário Mota Borges, na qual estiveram presentes a Diretora Regional do Turismo, Rosa Machado Costa, e o Diretor Regional dos Transportes Aéreos e Marítimos, Rui Furtado Coutinho.

A reunião, que decorreu no edifício dos Paços do Concelho, serviu igualmente para troca de impressões sobre os setores tutelados pelo Secretário, no caso em apreço o setor do turismo e dos transportes, tendo o presidente da Edilidade aproveitado a ocasião para manifestar e reforçar a importância que os transportes aéreos e marítimos, quer de passageiros, quer de mercadorias, têm para o desenvolvimento do concelho e da ilha, bem como na criação de postos de trabalho.

Luís Silveira voltou a defender a necessidade de melhorar a articulação dos horários com as Gateways de entrada e saída da Região, bem como chamou a atenção do Senhor Secretário para a necessidade de aumentar o número de lugares disponíveis inter-ilhas da Companhia Aérea Açoriana, por forma a ultrapassar os constrangimentos consecutivos com que nos deparamos ao longo dos anos, nomeadamente da falta de lugares.

O autarca defendeu uma vez mais a necessidade de ficar sediada uma embarcação da Atlanticoline no Porto das Velas, retomando aquela que é a Ponte Marítima Histórica entre a ilha do Pico e São Jorge, mais concretamente entre os portos de Velas e de São Roque, rentabilizando assim recursos, com o navio a fazer depois a ligação ao restante Grupo Central, nomeadamente com as ilhas Terceira e Graciosa.

Questões que são de todo importante por forma a dar um novo impulso ao setor do turismo, um dos pilares da economia e de desenvolvimento do concelho, da ilha e da própria Região, que apesar do momento atípico que vivemos, possamos ter um novo alento na retoma pós pandemia.

Neste sentido, Luís Silveira apelou para que a Região tenha também em conta a ilha de São Jorge, lembrando que este é um setor que estava em franco crescimento antes da pandemia, sendo de todo importante, para esse desenvolvimento desejado, transportes marítimos e aéreos devidamente articulados, defendendo que a oferta faz a procura e não o contrário.

AA/CMV