Presidente do Governo inaugura Hospital Internacional dos Açores

O Presidente do Governo Regional dos Açores inaugurou, na cidade de Lagoa, na ilha de São Miguel, o Hospital Internacional dos Açores (HIA), um investimento de cerca de 40 milhões de euros que representa uma nova “oferta qualificada e robusta” no setor.

A obra, sublinhou José Manuel Bolieiro, contribui para o desenvolvimento da região, “num exemplo claro de como os setores público e privado conseguem complementar-se, elevando e dignificando a oferta disponível para os Açorianos”.

“Temos mais uma oferta qualificada e robusta, que dá oportunidade aos Açorianos de acederem a soluções mais próximas e céleres, evitando a inevitabilidade de deslocação para o exterior da Região. Com mais esta resposta, espera-se diminuir constrangimentos no acesso aos cuidados de Saúde”, frisou.

“Na verdade, a par do essencial reforço do Serviço Regional de Saúde, que prioritariamente vamos concretizar, poderemos, de forma coordenada e convencionada, aumentar o acesso a consultas, exames ou cirurgias”, acrescentou o governante.

Na ocasião, José Manuel Bolieiro anunciou que o Serviço Regional de Saúde “terá um reforço de apoio” já no Plano e Orçamento para este ano, que combaterá “subfinanciamento crónico” do setor.

Serão ainda disponibilizados “cerca de 75 milhões de euros para o pagamento de dívidas em atraso” no setor, valores em falta que dificultam a “gestão diária, quer na valorização dos recursos humanos – dos profissionais de e da saúde – quer na disponibilização a estes dos materiais e equipamentos necessários para a sua atividade clínica”.

Com uma “aposta efetiva na retoma dos cuidados de saúde e determinação nos incentivos à fixação dos respetivos profissionais”, poderá ser promovida a “estabilização dos quadros clínicos”, defendeu ainda o Presidente do Governo.

José Manuel Bolieiro sustentou igualmente que, com a implementação do primeiro hospital privado, os Açores acrescentam, a quem procura a Região como destino turístico, uma nova “oferta de cuidados de saúde”.

“O turismo de saúde e a oferta de serviços de saúde de qualidade são essenciais para muitos na escolha do destino de férias e de turismo”, acrescentou ainda.

O governante advogou ainda que o reforço da “autonomia política” dos Açores passa, também, por criar na Região “condições para que as necessidades dos Açorianos estejam salvaguardadas” dentro do arquipélago.

“Assim, poderemos diminuir a necessidade de deslocações para o continente, por vezes em condições muito difíceis, com desconhecimento do local, com falta de suporte familiar e comunitário, com um apoio da diária que é manifestamente insuficiente porque em muitos casos apenas cobre o alojamento ou os transportes, teremos a possibilidade de assegurar na nossa Região mais respostas”, declarou ainda.

O HIA, um investimento que ronda os 40 milhões de euros, está equipado por 50 consultórios, 96 camas, cinco blocos operatórios, maternidade, sete camas de cuidados intensivos, abarca cerca de 50 especialidades e tem ainda um Hospital de Dia Oncológico.

AA/GRA