Presidente do Governo lamenta desaparecimento de Cristóvão de Aguiar e valoriza “legado” deixado pelo escritor

Escritores Cristóvão de Aguiar (esquerda) e Dias de Melo (direita)/ foto@DR

O Presidente do Governo Regional dos Açores lamentou a morte do escritor Açoriano Cristóvão de Aguiar, reconhecendo que a Região “perde muito” com o seu falecimento, mas valorizando o “legado” que fica através da sua obra.

“A literatura portuguesa, a lusofonia e sobretudo os Açores perdem muito hoje com o seu falecimento”, diz José Manuel Bolieiro.

Cristóvão de Aguiar, nascido na freguesia do Pico da Pedra, concelho da Ribeira Grande, morreu aos 81 anos. O escritor é tido por um dos nomes de maior importância no panorama da literatura portuguesa contemporânea.

O Presidente do Governo defende que os Açores ficaram “mais ricos pela sua existência e legado”, mas hoje estão, naturalmente, “empobrecidos pelo seu falecimento”.

Distinguido por diversas instituições e em várias áreas, Cristóvão de Aguiar foi, em 2001, agraciado com a Ordem do Infante D. Henrique.

AA/GRA