Presidente do IROA destaca “relevância” das melhorias introduzidas em dois caminhos agrícolas

O presidente do Conselho de Administração do IROA, SA. marcou presença nas cerimónias de inauguração dos caminhos agrícolas da Lomba da Cruz e da Faustina, nas freguesias de Santo António e Capelas, ilha de São Miguel, obras que melhoram de forma substancial o acesso às explorações agrícolas dos lavradores daquela zona.

“As duas empreitadas inauguradas representam cerca de dois quilómetros de via intervencionada, sendo que no caminho da Faustina gostaria de realçar a atenção que tivemos ao nível da drenagem das águas pluviais atendendo à forte inclinação da via”, começou por explicar Hernâni Costa.

Na sua breve intervenção, na companhia do presidente do Governo Regional dos Açores, o presidente do Conselho de Administração do IROA, SA., destacou a relevância do investimento realizado. “Estas são obras relevantes pois prestam serviço público à população em geral, na medida em que oferecem saídas rápidas em zonas de difícil acesso em caso de catástrofe.”

Para além disso, realçou, “foi possível conciliar o abastecimento de água a uma conduta com mais de três quilómetros que abrange cerca de sessenta ramais, empreitada que estará concluída quando finalizarmos a reparação do caldeirão grande, destruído no final de 2020 devido ao mau tempo, lagoa artificial que armazena água para toda esta zona.”

Hernâni Costa acrescentou que o IROA, SA., tem “mais de 14 quilómetros de condutas de abastecimento de água executados nesta zona, pelo que estamos a ir ao encontro dos objetivos propostos por esta administração, tanto ao nível do reforço do abastecimento de água à lavoura, como no que concerne à otimização de recursos numa única empreitada.”

Hernâni Costa deixou ainda uma “palavra de agradecimento aos lavradores que connosco colaboraram através da cedência de parcelas de terreno para neles podermos construir os sumidouros e também estamos gratos por autorizaram a pavimentação das entradas para as explorações agrícolas”, permitindo assim a implementação de mais medidas preventivas no que ao encaminhamento das águas pluviais diz respeito. “Eles colocaram o bem-comum acima dos interesses pessoais”, vincou.

O presidente do IROA, SA., também manifestou gratidão à direção cessante da cooperativa Agrocapelense que durante 34 anos foi presidida por Nuno Martins. “A terminar, quero deixar uma palavra de agradecimento ao Nuno Martins e à sua direção que cessou funções após 34 anos de serviço. Temos que valorizar e reconhecer as pessoas nas alturas devidas e esta é a ocasião para o fazer, pois trata-se de uma personalidade que muito contribuiu para o desenvolvimento do setor agrícola.”

AA/AM