Primeiras jornadas do Verdelho dos Biscoitos

A Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos anunciou o programa das 1.ªs Jornadas do Verdelho dos Biscoitos, que vão decorrer entre 22 e 25 do mês corrente na Terceira.

Vitivinicultura, ambiente, turismo e cultura, são os grandes temas das Jornadas, congregando cada um deles diversos especialistas de renome “que poderão dar um contributo importante para um melhor conhecimento da casta, do vinho, da zona de produção e dos proventos que os produtores e a ilha podem obter”, disse o Grão-mestre da Confraria.

Francisco Maduro-Dias adiantou que, para além das sessões temáticas subordinadas aos temas referidos, o fórum vai proporcionar o debate “através de mesas redondas, sobre vinhos vulcânicos e insulares, paisagem e sua proteção, enoturismo e sobre o papel das confrarias na dinamização cultural e económica”.

Frederico Falcão, presidente da VINIPORTUGAL, Fernando Seara, Diretor do Museu do Douro, Vasco Avilez, antigo presidente da comissão de vinhos da região de Lisboa e Pedro Castro Rego, presidente da Federação das Confrarias Báquicas de Portugal, são algumas das personalidades que vão marcar presença nas Jornadas “e que podem contribuir para uma excelente reflexão em torno das temáticas propostas”, frisou Francisco-Maduro Dias.

O Grão-mestre da Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos relevou também as presenças de diversos académicos e investigadores, como Fernando Completo, Manuel Malfeito Ferreira, Francisco Cota Rodrigues, Brito de Azevedo, Nuno Lopes ou Paulo Silveira e Sousa. “Todos eles nos garantem a partilha de conhecimento, que podemos tomar como importante para melhor conhecermos a zona de produção de verdelho, nos Biscoitos, e ajudarmos a redefinir estratégias de promoção”, sublinhou.

As 1.ªs Jornadas do Verdelho dos Biscoitos contam com o Alto Patrocínio da Presidência do Governo dos Açores e com apoios das autarquias locais e outras entidades, decorrendo com sessões alternadas nos Biscoitos, em Angra do Heroísmo e na Praia da Vitória.

O verdelho é a casta de excelência dos Açores e conhece atualmente produção maior no Pico, e em menor escala na Graciosa e na Terceira. Nesta última resiste uma importante mancha, nos Biscoitos, cuja produção, depois de quase extinta, na segunda metade do século passado, tem vindo a crescer, atingindo já, anualmente, mais de 12 000 litros, entre vinhos de mesa e licorosos.

Entre 2009 e 2019 a área de vinha reestruturada na Terceira, maioritariamente na freguesia dos Biscoitos, atingiu os 30 hectares, com recurso a castas como o Verdelho (61,56%), Arinto dos Açores (22,26%), e outras com menor índice.

Com um volume de aproximadamente 487.000 litros produzidos na campanha de 2020/2021, aptos a certificação como DO e IG, os vinhos certificados dos Açores representam apenas 0,45% do total de vinhos certificados transacionados no mercado nacional.

Na localidade, existe um Museu do Vinho, da Casa Agrícola Brum, com espaço etnográfico composto por um extenso espólio dedicado à cultura da Vinha e do Vinho nos Açores, uma Adega Cooperativa que congrega cerca de 70 produtores de verdelho, algumas adegas individuais, e uma adega experimental, do Governo Regional.

AA/CVVB