Projeto A.T.I.T.U.D.E. – inclusão social de jovens, adultos e seniores através da dança e do teatro

O teatro e a dança marcaram presença no Centro de Apoio à Deficiência (CAD), no âmbito do projeto A.T.I.T.U.D.E – Art for change, que arrancou na quinta-feira,03, criado com o intuito de envolver os jovens adultos e seniores com necessidades especiais através de práticas artísticas no concelho da Praia da Vitória.

A iniciativa, que conta com o apoio do Município da Praia da Vitória, resulta do trabalho desenvolvido por Daniela Silveira, gestora e fundadora da GetArt – Associação Regional para a Promoção e Gestão Cultural, entidade promotora do projeto. Integram o mesmo Vanessa Canto, coordenadora artística e formadora das aulas de dança; e Valter Peres, formador das aulas de teatro. O projeto tem como objetivo principal abordar a arte como veículo de inclusão social na ilha Terceira.

Segundo Paula Sousa, vereadora com o pelouro da Cultura, “este projeto surge da vontade de esta equipa trabalhar na partilha de experiências relacionadas com as artes artísticas, nomeadamente através do teatro e da dança, junto de cidadãos que pelas suas condições pessoais não dispõe das mesmas oportunidades do cidadão comum. Algo que nos desperta, enquanto comunidade, para a importância de promovermos a igualdade de oportunidades nos diferentes contextos da nossa vida”

“As vantagens do A.T.I.T.U.D.E para o nosso concelho são imensas, dado que poder participar, ajudar e acompanhar toda esta dinâmica de forma tão próxima com a instituição do CAD e seus utentes é algo que muito nos orgulha. Esta é uma instituição de enorme valor social e humano, que a par com outras entidades marcará presença no palco do Auditório do Ramo Grande para um espetáculo demonstrativo do trabalho desenvolvido, onde os protagonistas da festa são atores e atrizes de grande valor”, referiu a edil praiense.

“Indo ao encontro da inclusão social, acompanhamos, enquanto município, o projeto municipal Jovens em ação, desenvolvido pelo departamento de Educação e Reabilitação, e que envolve cerca de uma dezena de crianças com necessidades especiais entre os treze e os 16 anos. Estes jovens, assim como os utentes do CAD, integrarão as iniciativas do A.T.I.T.U.D.E”, adiantou.

As aulas que integram esta iniciativa são regulares, estando previstos também workshops com convidados de diferentes áreas, bem como a visita a outras organizações do concelho permitindo a integração com diferentes públicos.

O resultado final do trabalho, desenvolvido num período de três a quatro meses, envolve a apresentação de um espetáculo junto da comunidade local e a criação de um filme documental decorrente do acompanhamento do projeto.

Os participantes serão grupos de jovens adultos e seniores portadores de incapacidades de foro psicológico e/ou físico que se encontram em situações de exclusão social e de acesso limitado aos meios artísticos envolventes.

São parceiros neste projeto o CAD, o Espaço R e o TERINOV – Parque de Ciência e Tecnologia da Ilha Terceira.

AA/CMPV