Projeto Conforto apoia diariamente 21 pessoas em 10 freguesias de Ponta Delgada

O Projeto Conforto, criado há mais de uma década pela Câmara Municipal de Ponta Delgada, apoia, diariamente, 21 pessoas de 10 freguesias do concelho.

O anúncio foi feito pelo Vereador da Ação Social, Paulo Mendes, que falava na webinar sobre a violência contra a pessoa idosa, realizada no âmbito da iniciativa “Ponta Delgada à Conversa”.

A webinar serviu para assinalar o Dia Mundial da Consciencialização da Violência Contra a Pessoa Idosa e teve como grande objetivo “contribuir para colocar na agenda pública e política a temática de pessoas mais idosas”.

Sobre o Projeto Conforto, Paulo Mendes fez questão de referir que o mesmo consiste na prestação de cuidados individualizados e personalizados no domicílio, a pessoas idosas ou não, quando, por motivo de doença, deficiência ou outro impedimento, não possam assegurar temporária ou permanentemente, a satisfação das suas necessidades básicas, potenciado deste modo, a melhoria da qualidade de vida das pessoas e famílias, prevenindo situações de dependência e promovendo a autonomia

No âmbito deste projeto foi criado um Banco de Ajudas Técnicas, com equipamento específico para apoiar a população alvo do projeto cujo investimento, nos últimos quatro anos, ronda os 65 mil euros.

Programas de apoio aos idosos

O Vereador aproveitou a oportunidade para falar sobre o “Táxi+”, programa que visa garantir um serviço organizado de transporte gratuito para permitir aos idosos a deslocação a consultas, tratamentos, internamentos e ou exames complementares de diagnóstico e terapêutica, devidamente prescritos pelo serviço regional de saúde.

Outro dos vários programas que a autarquia dispõe para apoiar a população sénior do concelho é o “Exercício e Saúde na 3.ª Idade”, cujo objetivo é a promoção da qualidade de vida dos seniores através da pratica da atividade física, em específico da Hidroginástica, que funciona como estratégia de prevenção de perdas nos componentes da aptidão funcional. Pretende-se, ainda, combater o sedentarismo e o isolamento, implementando estilos de vida saudáveis e momentos de convívio e lazer a cerca de 150 seniores anualmente.

O Vereador referiu-se ainda ao projeto “Idosos Ativos”, que envolve cerca de 500 seniores das 24 freguesias do concelho e tem como objetivo a promoção da qualidade de vida dos Seniores através da prática de atividade física e jogos tradicionais. Pretende-se com este programa combater o sedentarismo e o isolamento da população sénior do concelho, implementando estilos de vida saudáveis e momentos de convívio e lazer.

Paulo Mendes mencionou cada um dos programas da autarquia para afirmar que “colocamos toda a nossa energia e compromisso para que o nosso concelho possa ser um exemplo no modo como tratamos os nossos idosos, ou dito de um outro ângulo, queremos ser o exemplo na forma como cuidamos que quem cuidou de nós”.

As consequências da pandemia

Entretanto, o Vereador da Ação Social destacou a necessidade de “cuidarmos dos nossos idosos, sendo que esta pandemia e as suas consequências, são mais gravosas junto das pessoas mais frágeis e vulneráveis, onde se incluem muitos idosos, facto que reforça esse sentido de urgência para com essa faixa da população a par com a situação estrutural que as nossas sociedades atravessam que é o progressivo e acelerado envelhecimento.

Defendeu, ainda, que “a luta por uma sociedade mais inclusiva e respeitadora de todos dos seus cidadãos é feita também ao nível da sensibilização, como o evento que estamos a realizar hoje, mas também com o arranque, hoje, de uma campanha centrada na mensagem “Vamos cuidar de quem cuidou de nós”.

A webinar contou com a participação de Raquel Rebelo, Gestora do Gabinete de Apoio à Vitima de Ponta Delgada; Adolfo Fialho, Pró-reitor para o Desporto e Extensão Cultural da Universidade dos Açores; Paula Guimarães, Vogal da Direção da Sociedade Portuguesa de Gereatria e Gerontologia; Margarida Pedroso de Lima, Professora da Faculdade de Psicologia da Universidade de Coimbra e Representante da Rede Internacional de Prevenção de Maus Tratos às Pessoas Idosas. O debate foi moderado por Carla Dias, jornalista do Correio dos Açores.

AA/CMPD