Projeto Zero Desperdício permitiu a recolha de três toneladas de alimentos nos últimos meses

O projeto “Zero Desperdício”, que a Câmara Municipal de Ponta Delgada desenvolve desde janeiro de 2016, após assinatura de um protocolo com a Associação Dariacordar, já permitiu a participação de cerca de meia centena de voluntários e de cinco dezenas de entidades doadoras. Este grupo torna possível que aproximadamente seis dezenas de pessoas carenciadas sejam apoiadas diariamente com refeições.

Todos os meses é recolhida uma quantidade de alimentos superior a duas toneladas. Nos últimos meses as doações ultrapassaram as três toneladas.

O grande objetivo do projeto, que conta ainda com a colaboração da Associação de Seniores de São Miguel (ASSM), como entidade recetora dos alimentos, é contribuir para a recuperação e doação de excedentes alimentares a famílias carenciadas.

O Município, depois de várias remodelações e adaptações, cedeu à ASSM um edifício municipal sediado na Fajã de Baixo, onde se tem desenvolvido o projeto. Neste processo, tem sido crucial o apoio do Centro Social e Paroquial de São Roque e da Junta de Freguesia de São Pedro.

O protocolo assinado entre o Município e “Dariacordar” teve precisamente como objetivo o estabelecimento de ações de cooperação e a facilitação entre as partes, visando a canalização da maior doação possível de excedentes alimentares e, desta forma, apoiar as famílias mais necessitadas.

A Autarquia de Ponta Delgada foi a primeira dos Açores a fazer parte do projeto nacional “Zero Desperdício”, que prevê a recolha dos excedentes alimentares na restauração e unidades hoteleiras do Concelho, os quais serão distribuídos por pessoas e/ou agregados familiares com graves carências económico-sociais.

Redistribuir, reduzir e reciclar os excedentes alimentares existentes nos serviços aderentes são os objetivos deste projeto nacional, que vai contribuir, paralelamente, para a sustentabilidade social, ambiental, económica e cívica.

AA/CMPD