Prova da Picowines com parceiros regionais na Assembleia Legislativa dos Açores

A CVIP Picowines apresentou os seus vinhos numa experiência de diversas harmonizações e provas vínicas com os produtos dos parceiros da região Santa Catarina S.A., Cooperativa Leite Montanha, CRL e União de Cooperativas Agrícolas de Lacticínios de São Jorge, UCRL-UNIQUEIJO, na Assembleia Legislativa dos Açores.

Esta iniciativa decorreu nos jardins da Residência Oficial do Presidente, na Horta, com o objetivo de sensibilizar para a dinamização do potencial, qualidade e excelência dos produtos regionais.

“É uma honra e um orgulho para nós, CVIP Picowines, termos estado presentes na Assembleia Legislativa dos Açores, rodeados de vários admiradores incondicionais dos Açores, que tanto se esforçam para honrar o arquipélago. Esta apresentação foi pensada e organizada com vista a reforçar a importância da sensibilização, dinamização e união, sendo o caso dos parceiros Santa Catarina S.A., Cooperativa Leite Montanha, CRL e União de Cooperativas Agrícolas de Lacticínios de São Jorge, UCRL-UNIQUEIJO, para que possamos, em conjunto, mostrar e levar o melhor dos Açores ao Continente, e ao Mundo.”, afirma Losménio Goulart, Presidente da Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico – Picowines.

 

Sobre a Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico (CVIP)

A Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico (CVIP) nasce em 1949 pela mão de 21 fundadores. Após um período de preparação e organização, seguido de construção da sede, a Adega Cooperativa inicia a sua produção em 1961 com as castas nobres, Verdelho, Arinto e Terrantez do Pico. O primeiro vinho da CVIP, com o nome “Pico”, é lançado no mercado em 1965.

Surgiram alguns obstáculos à produção de vinhos do Pico, e num contexto de querer recuperar um passado que já fora de esplendor e glória surge a cooperativa do Pico na Madalena e, em 1972 tornou-se obvio que teria de se produzir vinho também a partir de uvas tintas e de castas americanas, por questões de rentabilidade, surgem assim novos vinhos que marcam também a história do Pico.

A entrada do enólogo Bernardo Cabral, em 2017, marca uma nova etapa na vida destes vinhos, pois são introduzidos os primeiros monocastas assumindo o terroir vulcânico dos vinhos do Pico.

Atualmente, a Cooperativa do Pico conta com 280 associados e é liderada por Losménio Goulart que se tem preocupado em fomentar o processo de produção do vinho, tornando-o cada vez mais uma referência de muita qualidade.

AA/PW