PS apresenta proposta de apoio às famílias e às empresas da ilha de São Jorge

O Grupo Parlamentar do PS vai dar entrada, no Parlamento dos Açores, de um projeto de resolução com vista à criação de medidas de apoio às famílias e às empresas de São Jorge, afetadas pela crise sismo-vulcânica que se fez sentir naquela ilha desde o passado dia 19 de março.

Segundo a deputada Isabel Teixeira, que tem acompanhado de perto o trabalho das autoridades, que têm monitorizado de perto os quase 28 mil sismos registados e cerca de 230 sentidos pelos Jorgenses, bem como a preparação para cenários mais preocupantes, numa perspetiva de prevenção, o trabalho do CIVISA e da Proteção Civil “tem sido incansável e louvável, a todos os níveis”.

Isabel Teixeira explicou que a proposta do PS “visa apoiar, a fundo perdido, as despesas de arrendamento das famílias que se deslocaram e que tiveram que arrendar outra casa”.

Outra medida, avançou a parlamentar socialista são o “apoio a 100% dos custos fixos, como a água e eletricidade, das moradias de habitação que ficaram desabitadas” e a “isenção, para famílias deslocadas, do pagamento de creches, jardins de infância e ATL, compensando as instituições de origem e de destino”.

“Para as famílias que decidiram permanecer, o Governo deve assumir 50% das despesas com creches, jardins de infância e ATL’s, e Estruturas Residenciais para Idosos, com a devida compensação às instituições de origem”, explicou.

A deputada do PS, eleita pela ilha de São Jorge, avançou ainda que, no apoio à atividade económica, a proposta socialista prevê um apoio aos empresários Jorgenses de “100% dos custos fixos com rendas, eletricidade, água, gás e comunicações” e o “apoio à manutenção dos postos de trabalho, através da compensação de remunerações na mesma proporção da redução da faturação”.

Isabel Teixeira sublinhou que o PS “não esqueceu os trabalhadores independentes”, igualmente afetados por esta crise, defendendo que “também eles deverão ser compensados pelas suas perdas de rendimentos”.

“O PS esteve sempre atento às justas reivindicações das associações empresariais de São Jorge e de ambos os autarcas, das Velas e da Calheta, apresentando propostas que são um contributo para debelar os impactos económicos que a crise sismo-vulcânica trouxe, justamente numa altura em que nos encontramos a sair de uma crise pandémica. Naturalmente que o Governo Regional deve apoiar os Jorgenses e liquidar, rapidamente, os apoios aprovados e ainda não pagos, no âmbito das compensações aos prejuízos causados pela COVID-19”, finalizou a deputada socialista, Isabel Teixeira.

AA/PS