Radares meteorológicos em São Miguel e nas Flores devem estar implementados no final de 2023, anuncia Presidente do Governo

O Presidente do Governo Regional dos Açores anunciou que os Radares meteorológicos em São Miguel e nas Flores, que se seguirão ao já implementado na ilha Terceira, devem estar implementados no final de 2023, representando um investimento de seis milhões de euros ao abrigo do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

José Manuel Bolieiro, que falava no Palácio de Sant’Ana, em Ponta Delgada, definiu o dia de hoje como um “momento de satisfação, realização e compromisso”.

O Presidente do Governo recebeu eu audiência o Ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, e o Presidente do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, Miguel Miranda, tendo estado também presentes no encontro a Secretária Regional da Cultura, da Ciência e Transição Digital, Susete Amaro, o Secretário Regional do Ambiente e Alterações Climáticas, Alonso Miguel, e o Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, Pedro Nascimento Cabral.

O investimento nos dois radares, em São Miguel e nas Flores, “corresponde a seis milhões de euros” repartidos entre os momentos de “decisão” e “instalação” dos mesmos, declarou José Manuel Bolieiro.

“A nossa expetativa é que no último trimestre de 2023 estes radares sejam uma realidade”, prosseguiu, antes de destacar a “articulação cordial e honesta entre o Governo da Região e o Governo da República” sobre este ponto.

A escolha do Pico dos Santos de Cima, junto às Sete Cidades, concelho de Ponta Delgada, correspondeu à mais-valia “técnica, tecnológica e económica”, aliada à defesa das questões ambientais, concretizou o governante.

“Ficam os Açores como uma verdadeira referência também para esta avaliação das alterações climáticas, e poderemos sinalizar com ciência, informação e tecnologia” cenários que “ajudem à segurança e prevenção” das populações”, defendeu ainda.

José Manuel Bolieiro instou ainda o IPMA a continuar a investir nos Açores, demonstrando abertura do XIII Governo Regional para continuar a trabalhar com a entidade.

AA/GRA