Reforço de vacinação nos Açores é exemplo para a União Europeia e o Mundo

O Presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, sublinhou hoje a unidade nacional em torno do reforço de vacinas contra a covid-19 para a Região, defendendo que tal deve ser visto como um exemplo para a União Europeia e, através desta, para o Mundo.

“Estamos todos de parabéns. Em vez de costas voltadas, estamos unidos neste exercício de equidade para o País, de exemplo para a União Europeia, e porque não, através da União Europeia, para o Mundo”, considera o Presidente do Governo.

José Manuel Bolieiro falava em Santa Maria, onde hoje esteve acompanhado pelo Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, e pelo coordenador nacional do processo de vacinação, Vice-Almirante Gouveia e Melo, a acompanhar o processo de inoculação na ilha.

O governante diz ter sentido a “solidariedade” nacional com a majoração de vacinas para as ilhas sem hospital, valorizando a “cooperação” com o Governo da República e o papel ativo de Portugal como atual país Presidente do Conselho da União Europeia.

José Manuel Bolieiro aproveitou ainda a ocasião para saudar todos os profissionais de Saúde ao serviço no processo de vacinação, quer nos momentos excecionais quer naqueles inicialmente previstos, e que continuam.

Começou no domingo o processo de aceleração da inoculação das pessoas em ilhas sem hospital, aparte o Corvo, já com imunidade.

A população ainda não vacinada em Santa Maria sê-lo-á no máximo até terça-feira; nas Flores o processo decorre a 9 a 10 de junho; na Graciosa entre 11 e 13; São Jorge recebe a equipa militar e as vacinas entre 14 e 16 e o Pico terá igual processo entre 17 e 20 deste mês.

A expetativa do Executivo mantém-se a de antecipar para finais de julho o calendário da imunidade completa da Região, que, estipulam os dados científicos, se atinge com 70% ou mais da população inoculada.

AA/GRA