República deve reforçar envelope financeiro para evitar rateios nos Açores

A deputada do PSD/Açores na Assembleia da República, Ilídia Quadrado, considerou que “só o reforço do envelope financeiro do POSEI irá evitar os rateios do setor agrícola na Região, que ainda assim terá de fazer um esforço conjunto para a sua sustentabilidade”.

A social democrata questionou a Ministra da Agricultura sobre o assunto, salientando que “não irão existir cortes no POSEI a partir de 2023, conforme estava anunciado, o que é essencial pois a manutenção da dotação daquele programa de apoio é, como sabemos, crucial para continuar o desenvolvimento da produção e da comercialização agroalimentar dos Açores”.

“Trata-se, de facto, de uma manutenção essencial, mas voltamos a insistir na necessidade de se reforçar o envelope financeiro disponibilizado, pois a Região terá de realizar um esforço muito exigente e que trará consequências a outros níveis”, alertou Ilídia Quadrado.

Ilídia Quadrado diz mesmo que se trata de uma aspiração “que traria resultados muito positivos para os Açores, garantindo mais qualidade de vida e bem-estar às populações que vivem a situação de ultraperiferia”.

A deputada açoriana aproveitou a sua intervenção a sensibilizar a Ministra da Agricultura para a problemática do leite e dos lacticínios na Região, “uma questão que se apresenta com contornos de limite, uma vez que o preço do leite associado ao aumento dos custos de produção colocou os produtores numa situação insustentável, que não se coaduna com a importância que o setor tem para a economia do arquipélago”, explicou.

“A qualidade do leite dos Açores é por todos reconhecida e merece a melhor atenção de todos os intervenientes e responsáveis políticos”, defendeu Ilídia Quadrado, frisando que esse “é um problema que não é apenas regional, mas que afeta todo o território nacional, no entanto, o preço pago ao produtor açoriano é o mais baixo de toda a Europa – em média 27 cêntimos por litro –“.

A parlamentar defende uma intervenção do Governo da República, “para que haja um entendimento entre todos os intervenientes, e que assim se valorize o preço do leite, permitindo o natural desenvolvimento daquele setor”, concluiu.

AA/PSD