Ribeira Grande adjudica obra para tratamento de águas residuais

A Câmara da Ribeira Grande adjudicou a empreitada de tratamento de águas residuais da cidade, obra orçada em cerca de 2,5 milhões de euros que permitirá resolver um problema que arrastava há décadas. A intervenção tem um prazo de execução de 480 dias e recebeu, recentemente, o visto prévio do Tribunal de Contas após ter sido lançado o concurso público em dezembro de 2020.

O presidente da autarquia presidiu à cerimónia de assinatura do ato de consignação e realçou a importância do momento. “Este é o maior investimento feito na última década ao nível do tratamento de águas residuais e só prova a nossa preocupação com o meio ambiente e com as gerações vindouras”, disse, acompanhado pelo vice-presidente, Carlos Anselmo.

“A empreitada prevê a construção de um intercetor que irá recolher as águas residuais domésticas do saneamento básico da cidade e encaminhá-las-á para a ETAR que se situa na zona de Santana, em Rabo de Peixe, numa extensão total de cerca cinco quilómetros”, explicou.

A obra tem por objetivo o “adequado tratamento das águas residuais domésticas produzidas na cidade de modo a melhorar as condições ambientais do concelho, quer para a população local, quer para os turistas”, acrescentou Alexandre Gaudêncio.

Recorde-se que na vila de Rabo de Peixe, em 2009, foi construída uma ETAR, de nível de tratamento terciário, que se encontra em funcionamento desde a altura. A ETAR de Rabo de Peixe está dimensionada para receber 1870m³ por dia e atualmente recebe apenas cerca de 303m³ por dia, pelo que se apresenta como uma alternativa viável para receber também os caudais atualmente produzidos na cidade da Ribeira Grande.

Assim, salientou Alexandre Gaudêncio, “a solução a executar prevê a recolha das águas residuais descarregadas em diversos locais na cidade da Ribeira Grande, concentrá-las num único ponto e encaminhá-las para a ETAR de Rabo de Peixe, terminando-se, deste modo, com as atuais descargas e garantindo o seu adequado tratamento”. Para o efeito, serão construídos dez sistemas elevatórios que bombearão o caudal até ao destino final.

AA/CMRG