‘Rotas Açores – Itinerários Culturais e Paisagísticos’ com os temas Vulcões, Vinhas e Baleação

O Governo dos Açores está a implementar o projeto ‘Rotas Açores – Itinerários Culturais e Paisagísticos’, contemplando três rotas com os temas Vulcões, Vinhas e Baleação.

Segundo Marta Guerreiro, Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo, que falava nas Lajes do Pico, na apresentação do projeto, sublinhou que estas rotas “oferecem a descoberta e a experimentação da cultura tão singular deste arquipélago, sempre na perspetiva dos seus habitantes e da sua forçada adaptação a esta circunstância geográfica única, com o mote ‘afinal, a Natureza dos Açores são, antes de tudo, as pessoas’”.

“Num investimento global de 220 mil euros, com este projeto passaremos a contar, até ao primeiro trimestre de 2021, com 14 itinerários distribuídos pelas nove ilhas, na Rota dos Vulcões, 15 itinerários, distribuídos também pelas nove ilhas, na Rota da Baleação, e oito itinerários, distribuídos por cinco ilhas, na Rota das Vinhas”, afirmou.

Segundo a governante, “cada uma destas rotas apresenta a opção de realização dos itinerários recorrendo a operadores locais ou de forma autónoma, utilizando a informação disponibilizada em diversos suportes comunicacionais, com base numa imagem coerente e atrativa, que facilmente identifica os recursos que fazem parte das rotas”.

Para a Secretária Regional, pretende-se “contribuir para a estruturação do produto ‘Touring Cultural e Paisagístico’, que surge com destaque como produto complementar no Plano Estratégico e de Marketing do Turismo dos Açores (PEMTA)”.

Adicionalmente, acrescentou Marta Guerreiro, “será produzida sinalética com três níveis de informação – orientadora, identificativa e informativa – bem como mapas, que poderão ser obtidos, por exemplo, nos Postos de Turismo”.

A titular da pasta do Turismo salientou que “esta estruturação beneficiará particularmente as empresas de animação turística e os operadores marítimo-turísticos, que poderão, depois da formação obrigatória, que será igualmente disponibilizada pelo Governo dos Açores, obter a credenciação necessária para explorar as rotas criadas”.

Sobre a formação, Marta Guerreiro destacou a sua importância “na adesão dos operadores locais e na motivação para que explorem os itinerários propostos, prevendo-se que as sessões online comecem já no final deste mês e decorram até dezembro”, com quatro módulos, num total de 39 horas de formação teórica.

Neste sentido, a Secretária Regional vincou que este é um projeto que contribuirá para um alargamento da época alta dos Açores, para a permanência dos turistas que visitam o arquipélago e para a sua dispersão pelo território, para a aposta na estruturação de produtos turísticos assentes na dualidade património natural e património cultural, e para a criação de novas oportunidades para operadores locais desenvolverem novas experiências, tendo como base o produto cultural.

AA/Gacs