São Roque do Pico aposta na recolha seletiva de biorresíduos

A Câmara Municipal de São Roque do Pico está a alargar a sua rede de ecopontos com a introdução do contentor castanho destinado à recolha de biorresíduos.

O projeto que agora se inicia em parceria com a Associação de Municípios da Ilha do Pico vai permitir numa primeira fase a distribuição de 34 contentores com uma capacidade individual de 800 litros nas cinco freguesias do concelho.

Além disso, com o intuito de aumentar a recolha seletiva e diminuir a sua presença no lixo indiferenciado, serão entregues contentores de 50 litros aos grandes produtores de resíduos biodegradáveis.

A ideia por trás deste quarto contentor para a recolha seletiva de lixo é muito simples: permitir que os resíduos de origem orgânica possam ser transformados em composto, podendo ser utilizados de forma segura como fertilizante natural em jardins, canteiros, hortas e campos agrícolas.

Com este projeto inovador de separação e valorização, pretende-se, também, aumentar significativamente o desvio de biorresíduos de aterro, eliminando progressivamente a sua deposição direta o que permite prolongar a vida útil do aterro sanitário intermunicipal.

Podem ser colocados nos contentores de cor castanha os restos de comida não cozinhada, sobras de vegetais crus e de frutas, pão, borras e filtros de café, sacos de chá, casca de ovo, ervas daninhas, folhas verdes, flores, restos de relva cortada, folhas secas, cortes e podas de pequena dimensão, laticínios, guardanapos, papel/cartão sujo.

Simultaneamente a esta ação, serão dinamizadas junto dos munícipes de São Roque do Pico campanhas de sensibilização e educação ambiental para transmitir as mais valias de separar os biorresíduos e os benefícios da sua valorização.

AA/CMSRP