São Roque do Pico em números

Em dia de feriado municipal no concelho de São Roque do Pico, a Pordata, projecto da Fundação Manuel Francisco dos Santos, publicou o retrato estatístico do concelho, tendo em conta a evolução entre 2010 e 2018.

O trabalho apresenta cerca de 60 indicadores-chave do Município desde a evolução demográfica à saúde, passando ainda pela educação e proteção social, emprego, empresas, finanças, cultura, turismo e ambiente.

Os dados agora divulgados indicam que o número de estrangeiros a residir no concelho quase duplicou nos últimos oito anos, existindo quatro residentes oriundos de outros países por cada 100 pessoas que vivem em São Roque do Pico.

A Pordata revela por outro lado um elemento que é comum à grande maioria dos concelhos dos Açores e de Portugal, ou seja, o envelhecimento da população registando-se por cada 100 jovens 144 idosos, o que apesar de tudo está abaixo da média nacional. Vendo por outro prisma por cada 100 residentes 15 são jovens com menos de 15 anos, 67 são adultos e 19 são idosos com 65 ou mais anos.

No concelho que detém a marca ‘Capital do Turismo Rural’, os dados publicados realçam o aumento significativo do número de unidades de alojamento turístico passando de uma, em 2010, para 22 unidades.

Quanto aos vencimentos os dados indicam que 1.022 euros é quanto ganham em média os trabalhadores por conta de outrem, ficando 145 euros abaixo do ganho médio a nível nacional.

Na análise às contas municipais, a Pordata indica que 29% das despesas da Câmara Municipal foram destinadas à cultura e ao desporto, valor superior ao de 2010 (16% do total das despesas); enquanto 5% das despesas são relativas ao ambiente, ficando três pontos percentuais abaixo do valor registado a nível nacional (8%).

AA/CMSR