Serviço de doentes deslocados em Lisboa com nova viatura adaptada para transporte 

O Secretário Regional da Saúde e Desporto procedeu à entrega de uma viatura adaptada para transporte de doentes ao Serviço de Apoio a Doentes Deslocados em Lisboa.

Adquirida no mercado nacional por cerca de 31 mil euros, a viatura foi totalmente adaptada para poder transportar pessoas com dificuldade de locomoção, ou outras deficiências incapacitantes. 

“Fica assim colmatada uma carência de muitos anos, num serviço  essencial para a região, dado que inúmeras pessoas são deslocadas dos Açores para o continente, para poderem efetuar tratamentos diversos, muitas delas afetadas por doenças incapacitantes”, disse o Secretário Regional da Saúde e Desporto à margem do ato oficial de entrega da viatura.

Clélio Meneses relevou o trabalho do SADD em Lisboa e lamentou as dificuldades vividas pelo mesmo, ao longo dos últimos anos, motivadas “pelo desinvestimento dos anteriores governos, facto que levou â degradação de viaturas, computadores e outros equipamentos”.

“Há poucos meses, investimos também cerca de 10 mil euros num novo parque de equipamentos informáticos, resolvendo outra carência lamentável”, disse o Secretário Regional da Saúde e Desporto, anunciando ainda um próximo investimento ao nível dos recursos humanos, que considera “tão urgente quanto os anteriores”.

“O SADD atendeu o ano passado, em tempo de pandemia, cerca de 1.100 açorianos enviados para tratamento em Lisboa, pelos hospitais dos Açores, mas a falta de pessoal habilitado, tem dificultado a missão deste Serviço, sem lhe tirar o valor e o sucesso da missão, dado o empenho dos profissionais que ainda cá estão”, considerou Clélio Meneses.

“É preciso resolver também esta situação e vamos resolver, certamente”, sustentou ainda. 

O Serviço de Apoio ao Doente Deslocado em Lisboa funciona num prédio adquirido pela Região em 1984, na zona do Areeiro. Apoia os doentes deslocados, com transporte, de e para o aeroporto, ou outros considerados essenciais. Trata também de alojamentos e processa pagamentos referentes às deslocações, para além de outros procedimentos burocráticos. Os doentes e suas famílias contam ainda com apoio psicológico, por parte de técnicos habilitados.

AA/GRA