Sinfonietta de Ponta Delgada a 31 de Outubro na Igreja do Colégio dos Jesuítas

A Sinfonietta de Ponta Delgada apresenta-se em concerto no Núcleo de Arte Sacra do Museu Carlos Machado, na Igreja Colégio dos Jesuítas, a 31 de outubro, a partir das 17h00. O concerto “Entre Estações” vai ser transmitido online, nomeadamente através da página Facebook e do canal Youtube da Câmara Municipal de Ponta Delgada.

O concerto apresenta obras de Antonio Vivaldi e Ástor Piazzolla e a direção musical está a cargo de Bin Chao, contando, ainda, com a participação de  Varoujan Bartikian.

Com o apoio da autarquia de Ponta Delgada, o programa escolhido ilustra duas visões musicais diferentes sobre o tema das estações: Primavera, o Verão, o Outono e o Inverno. Como são vistas através dos sentidos musicais de um veneziano do século XVIII e de um argentino do século XX. É nesta dicotomia de imagens sonoras que a Sinfonietta de Ponta Delgada comemora Piazzolla, na confrontação épica entre as suas estações porteñas e visão barroca das estações de Vivaldi.

A Quadrivium – Associação Artística traz a Ponta Delgada o violinista da Orquestra Gulbenkian Bin Chao, que terá à sua responsabilidade a direção musical do concerto, bem como o cargo de violino solo. O lugar de primeiro violoncelo será ocupado pelo primeiro violoncelista da Orquestra Gulbenkian Varoujan Bartikian.

O género do concerto para solista ocupa um lugar central na produção de Vivaldi (1678 – 1741). Contando com as exímias instrumentistas do Ospedale de la Pietà, o mais célebre dos quatro orfanatos femininos de Veneza onde entre 1703 e 1740 desempenhou as funções de diretor, compositor, maestro e superintendente geral, o padre António Vivaldi cultivou este género de concerto, de forma regular, produzindo mais de 550 concertos. Este orfanato tinha na música a componente mais importante do seu plano de estudos, resultantes da excelência da interpretação e do génio compositivo de Vivaldi, marcado sobretudo por uma exploração dos limites técnicos e expressivos dos diversos instrumentos com que trabalhava. As épicas Quatro Estações traduzem- se num exemplo de música programática sob o tema das estações em quatro concertos para violino solo, baixo contínuo e orquestra.

As Quatro Estações Porteñas, do argentino Ástor Piazzolla (1921-1992), foram originalmente compostas para violino, guitarra elétrica, piano, baixo e bandoneón, no entanto, em concerto teremos um arranjo da responsabilidade do violinista Jorge Teixeira que dá o lugar de primazia ao violino como solista. A obra é dividida em quatro momentos: Verão Porteño (1964), Outono Porteño (1969), Primavera Porteña e Inverno Porteño (1970). Apesar de não ter sido criada como uma suíte em quatro movimentos, é vista como um contraponto moderno das célebres Quatro Estações de Vivaldi. O termo porteño refere-se à cidade de Buenos Aires, na qual Piazzolla estabeleceu-se durante a maior parte da vida e absorveu as suas principais referências musicais ligadas ao tango e ao clássico, aos quais juntou elementos de jazz trazidos do tempo em que viveu em Nova Iorque.

O concerto será aberto ao público, mas está limitado a 100 lugares sentados. O uso de máscara, no interior da igreja, é obrigatório.

AA/CMPD