Turismo só será bom enquanto for bom para quem cá vive

A Secretária Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas defendeu que “o turismo só será bom enquanto for bom” para quem vive nos Açores e, por isso mesmo, “deve encarado como uma oportunidade de prosperidade para as pequenas comunidades das nove ilhas, servindo como veículo de inclusão, valorização e criação de bem-estar em todas elas”.

Berta Cabral falava na sessão de encerramento do Congresso Mundial da ISTO – International Social Tourism Organisation, a que presidiu no Teatro Micaelense.

A Fundação INATEL, que comemora 50 anos de adesão à ISTO, organiza este congresso, que conta também com o apoio do Governo dos Açores e do Turismo de Portugal. No evento, subordinado ao tema “Sustentabilidade social: um fator chave para o futuro do turismo”, estão presentes membros de vários continentes do mundo.

“O caminho que temos trilhado no rumo da sustentabilidade é fundamentado num processo de participação alargada, envolvendo as comunidades locais de cada ilha, bem como representantes dos mais variados quadrantes da Sociedade e setores de atividade económica”, sustenta Berta Cabral.

“Partindo da convicção de que é vital criar riqueza para a distribuir, e reconhecendo que o turismo também desafia toda a Sociedade a evoluir, mantemos a nossa política de desenvolvimento sustentável solidamente alinhada com os princípios da «Agenda 2030 das Nações Unidas» e com o objetivo fundamental de melhorar a qualidade de vida de todos os açorianos e dos que nos visitam”, sublinhou.

Este é um trabalho – referiu a governante – que “implica a mobilização, o envolvimento ativo, a colaboração construtiva e a participação generalizada da sociedade”.

“O compromisso com a sustentabilidade é de todos, e deve estar profundamente interiorizado como um ato de cidadania. Razão suficientemente forte para que o desenvolvimento do turismo assuma, para nós, uma importância redobrada e a perspetiva de poder contribuir para a valorização, o desenvolvimento e a proteção das nossas pequenas comunidades”, acrescentou.

AA/GRA