Um passo mais perto da Lua para Terry Costa

Mais de meio milhão de 239 países e áreas do mundo se candidataram. Entre eles encontra-se o diretor artístico da MiratecArts, Terry Costa. Tudo começou em 2018 quando o artista iniciou uma campanha para atrair Yusaku Maezawa. “O meu objetivo sempre foi de convencer o bilionário japonês a convidar-me para a sua viagem #dearmoon”, admite Terry Costa,  explicando que “uma semana no espaço, ao redor da lua, seria um sonho.” Por causa da campanha, Terry Costa foi convidado a participar no festival de artes em Kyoto no Japão, onde iniciou a sua mais recente obra teatral, Monstro, “mas nunca desisti de chegar a Maezawa.”

Yusaku Maezawa é um dos homens mais ricos do Japão. Tornou-se famoso devido à aquisição de uma pintura sem título do pintor Jean-Michel Basquiat por 57,3 milhões de dólares. Em 2018 foi manchete por ter comprado todos os lugares no novo foguete da SpaceX, anunciando o seu interesse em convidar artistas para esta viagem. Terry Costa quer fazer parte da experiência para se inspirar na criação de uma nova linguagem artística, que vai muito para além das fronteiras de um país ou continente, vai para o espaço.

“Entendo que para as empresas do bilionário, o projeto #dearmoon virou uma campanha excelente de marketing, conseguindo atenção mundial como nunca antes visto para um projeto de arte, mas ao mesmo tempo fiquei contente de receber esta semana o meu certificado de potencial candidato para fazer parte da equipa, e em nome de Portugal.” O certificado é adquirido através da APP #dearmoon, mas para Terry Costa nem tem a ver com isso, e admite que continua a propor que o projeto seja muito maior do que fazer parte de uma viagem, mas sim produzir “o show mais espetacular do mundo”.

“Esta aventura só mostra que se temos interesse, temos que seguir os passos, e lutar por isso, pois nunca se sabe no que vai dar;” admite Costa durante a sua última atuação de Monstro, no meio da natureza na ilha montanha. “Quer consiga ou não o próximo passo desta aventura, já valeu a chamada loucura.”

Terry Costa organiza festivais de arte no meio do Oceano Atlântico, incluindo o Azores Fringe, que já acolheu mais de 2000 artistas de 64 países. O artista nascido em Oakville, Canadá, de raízes açorianas, faz da ilha do Pico a sua casa, desde 2011, desenvolvendo uma propriedade de 26 mil metros quadrados numa autêntica galeria ao ar livre, onde a natureza e a arte se unem.

AA/MA

Terry Costa no palco do Kyoto Art Centre, Japão (Fev 2019)