Vacinação contra a Covid-19 concluída no Corvo

Terminou a 2ª fase da vacinação contra a Covid-19, da população da ilha do Corvo, tornando assim a ilha do Corvo o primeiro território de Portugal e da Europa imune à Covid-19.

No total, 321 pessoas foram inoculadas com a 2ª toma, menos uma do que na primeira, devido ao falecimento, entretanto, de Manuel Rita, carismático autarca e empreendedor da ilha.

A operação repetiu-se, no mesmo local, com os mesmos atores e com idêntico sucesso. No final era notória a satisfação popular pela iniciativa do governo, que tornou o Corvo o primeiro território imune à Covid, em Portugal e na Europa. Esta realidade fez mesmo deslocar para a ilha, uma equipa de reportagem da “France Press” que acompanhou toda a operação, distribuindo imagens para todo o mundo. A Agência de informação francesa produziu igualmente um documentário para TV, a emitir em breve. De resto, a operação foi também acompanhada pela RTP/Açores e Antena1 – Açores, que transmitiram em Direto a conferência de imprensa de atualização das medidas de combate à pandemia, realizada na Sede dos Bombeiros Voluntários.

Quem também assistiu presencialmente foi o Secretário Regional da Saúde, que se fez acompanhar por Gustavo Tato Borges, presidente da Comissão Especial de Acompanhamento da Luta contra a Pandemia de Covid nos Açores. Clélio Meneses disse à imprensa presente no local que o isolamento da ilha e dos habitantes, somado às dificuldades que decorrem das condições climatéricas, justificaram a decisão de vacinar a população. “Não havia outra decisão responsável, que não fosse esta” – sublinhou.

Coordenada pela Direção Regional de Saúde, a Operação de vacinação da população da ilha do Corvo esteve a cargo da Unidade de Saúde de ilha do Corvo, sob a orientação do médico António Salgada Almeida, reforçada com dois enfermeiros da Unidade de Saúde de Ilha de São Miguel.

AA/ARS