Velas perpetua no tempo o antigo “Vinho dos Casteletes

O Município de Velas, no âmbito do trabalho desenvolvido na reabilitação da Marginal dos Casteletes, na freguesia da Urzelina, procedeu à colocação de uma barrica em pedra basáltica, trabalho realizado pelo escultor/ artesão Jorge Fonseca, perpetuando assim no tempo o antigo “Vinho dos Casteletes”.

Entende o atual executivo camarário ser de todo importante homenagear todos quantos no passado souberam criar um dos melhores e mais apreciados vinhos em Portugal e Europa e que foi por inúmeras vezes selecionado como o vinho oficial da realeza para eventos de grande relevo.

Recorda uma nota da edilidade neste âmbito que a ilha de São Jorge foi conhecida, durante mais de três séculos, por ser onde se produzia bom vinho e onde a vitivinicultura desempenhou um papel de grande relevo em termos económicos, tendo sido mesmo a mais importante exportação, até ao séc. XIX, altura em que a sua produção foi drasticamente prejudicada, devido às erupções vulcânicas da Queimada (1580) e Urzelina (1808), e mais tarde pela doença da vinha oidium tukeri (1854).

Para saber um pouco mais sobre o “Vinho dos Casteletes” leia a reportagem da Revista Municipal N.7 do Município de Velas aqui: Reportagem Vinho dos Casteletes.

AA/CMV