Ventura apela aos agricultores que adiram ao seguro agrícola

O Secretário Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural fez um apelo aos agricultores para que adiram ao seguro agrícola, por forma a fazer com que a gestão de riscos passe a estar inserida no quotidiano de quem produz nos Açores.

António Ventura falava na freguesia dos Altares, na ilha Terceira, à margem de uma visita a uma exploração agrícola afetada pela depressão Lola, onde destacou que há pouca adesão aos seguros de colheita.

“Os seguros agrícolas são apoiados pelo PRORURAL, mas o Governo vai disponibilizar uma verba de 82 mil euros de compensação aos mesmos para os anos de 2021 e 2022, um aumento de mais de 200% relativamente à média dos últimos seis anos”, referiu.

Nesse sentido, continuou o governante, “o que solicitamos aos agricultores é que façam as suas candidaturas no âmbito dos seguros agrícolas, para que este passe a ser um elemento de segurança produtiva nos Açores”.

“A gestão de riscos tem de começar a ser um elemento que faça parte do quotidiano de quem produz nos Açores”, acrescentou António Ventura.

O responsável pela pasta da agricultura tem visitado diversas explorações de vinha e de horticultura pelas diferentes ilhas, por forma a fazer um levantamento daquilo que considera terem sido os “efeitos nefastos” na depressão Lola. 

O Secretário Regional esteve também esta na ilha Graciosa, onde verificou os estragos provocados pela depressão Lola no âmbito da vitivinicultura, onde disse existirem “consideráveis perdas”, que irão afetar a produção de vinho este ano.

O governante referiu existirem registos de prejuízos em todas as ilhas dos Açores, com maior destaque nas ilhas Terceira, Graciosa e S. Miguel.

“A agricultura é uma atividade fundamental na multiplicação da economia nos Açores, queremos que a Região seja produtora de agroalimentos e para isso é importante inserir no quotidiano de quem produz no Qrquipélago o seguro agrícola e a gestão dos riscos”, referiu.

António Ventura adiantou ainda que o Executivo pretende efetuar alterações à legislação dos seguros agrícolas, por forma a contemplar a salinidade e as secas e para aumentar as comparticipações, de modo a torná-los mais apelativos e a levar a maior adesão por parte dos produtores.

AA/GRA