Yamandu Costa pela primeira vez nos Açores

Yamandu Costa, conceituado músico do violão de sete cordas, estreia nos Açores no Festival Cordas.

O violonista e compositor começou a estudar violão aos 7 anos de idade com seu pai, Algacir Costa, e aprimorou-se com Lúcio Yanel, virtuoso argentino radicado no Brasil. Até a adolescência, a sua única escola musical era a música folclórica do Sul do Brasil, da Argentina e do Uruguai. 

Aos 17 anos apresentou-se, pela primeira vez, em São Paulo no Circuito Cultural Banco do Brasil e, a partir daí, passou a ser reconhecido como músico revelação do violão brasileiro.

Um dos maiores fenómenos da música brasileira de todos os tempos, Yamandu confirma e merece todos os elogios que recebe quando toca o seu violão. Sozinho no palco é capaz de levantar em êxtase platéias das mais especializadas e de emocionar o grande público aos mais apurados ouvidos. As suas interpretações performáticas conseguem remodelar cada música que toca e revela uma profunda intimidade com seu instrumento.

Todo o reconhecimento que recebe é apenas um reflexo do que apresenta ao seu público, recriando a magia da música com o seu toque, passando pelo seu corpo e transformando-se quase milagrosamente.

Yamandu oferece desde choro à música clássica brasileira, mas também é um gaúcho cheio de milongas, tangos, zambas e chamamés. Um violonista e um compositor que não se enquadra em nenhuma corrente musical, pois é uma mistura de todos os estilos e que cria interpretações de rara personalidade com seu violão de 7 cordas. Yamandu faz jus ao significado de seu  nome “o precursor das águas”.

Considerado um dos maiores talentos do violão brasileiro, Yamandu Costa é uma referência mundial. Quem o vê no palco percebe o seu incrível envolvimento, a sua paixão pelo instrumento e pela arte. A sua criatividade musical desenvolve-se livremente sobre uma técnica absolutamente aprimorada, explorando todas as possibilidades do violão de 7 cordas, renovando antigos temas e apresentando composições próprias de intenso brilho, numa performance sempre apaixonada e contagiante. 

Revelando uma profunda intimidade com o seu instrumento e com uma linguagem musical sem fronteiras, percorreu cobiçados festivais de música e importantes palcos do mundo, em mais de 50 países. Vencedor dos mais relevantes prêmios da música brasileira e ainda indicado para o Grammy Latino agora, pela primeira vez, as audiências nos Açores têm a oportunidade de ver este génio musical, ao vivo, na ilha do Pico, na sexta edição do Festival Cordas. 

Para garantir a sua cadeira favorita no Auditório da Madalena, as audiências podem adquirir o PASSE ALL ACCESS ou o Passe Auditório, já disponível através da MiratecArts, ou aos sábados no Mercado Municipal da Madalena, ou ainda no Auditório a partir de 1 de setembro. 

De 14 a 19 de setembro, todos os caminhos de músicas do mundo lidam para a Madalena do Pico e o Festival Cordas, o mais galardoado evento cultural artístico nos Açores, que este ano apresenta 14 concertos ao vivo e ainda um Spotlight Brasil online. 

AA/MA